HÉLIO'S BLOG

Início » Astrônomia » NASA registra intensa explosão solar com emissão de energia . .

NASA registra intensa explosão solar com emissão de energia . .

https://helioaraujosilva.wordpress.com/

Categorias

HÉLIO’S BLOG

#DivulgaçãoCientífica

NASA registra intensa explosão solar com emissão de energia . . .

AR2297-flare-classe-X2-CME.ÁREA 

Registro de intensa explosão na superfície do sol. Alerta para possíveis apagões em telecomunicações.

Nasa registra intensa explosão solar na tarde desta quarta-feira. Explosões intensas podem afetar sinais de GPS e de outras comunicações. O “EVENTO” teve seu auge às 13h22 (horário de Brasília).
Em 11 de março às 16:22 UT (13:22 horário de Brasilia), os satélites que orbitam a Terra detectaram um FLARE SOLAR de classe X2, mostrado a seguiri em uma imagem do SDO-Solar Dynamics Observatory, da NASA.
Enorme explosão solar com emissão de intensa CME-Ejeção de Massa Coronal
Do G1, em São Paulo – Atualizado em 11/03/2015 18h11
Fontes: http://spaceweather.com/ e http://g1.globo.com/
Uma intensa explosão solar foi registrada no início da tarde desta quarta-feira (11) pelo SDO-Solar Dynamics Observatory-Observatório de Dinâmica Solar da Nasa. O evento teve seu auge às 13:22 (horário de Brasília), segundo a agência espacial americana.


Nasa registra intensa explosão solar na tarde desta quarta-feira
De acordo com a Nasa, as radiações prejudiciais liberadas em erupções solares não podem atingir a atmosfera terrestre de modo a afetar a população. Mas, se forem muito intensas, podem atingir a camada da atmosfera por onde transitam os sinais de GPS e de outros tipos de comunicação.
Nas redes sociais, alguns usuários reclamavam de terem tido problemas com o GPS na tarde desta quarta-feira. Segundo o Centro de Previsão do Clima Espacial (SWPC), ligado à Agência Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), dos EUA, foi registrado um apagão de uma hora de duração nas ondas de rádio de alta frequência no início da tarde desta quarta devido à explosão solar.
Radiação ultravioleta extrema da explosão ionizou as camadas superiores da atmosfera da Terra, causando falhas nas transmissões de rádio HF e outros efeitos de propagação de ondas no lado diurno do nosso planeta.

Grandes explosões solares podem afetar a distribuição de energia elétrica nos grandes centros urbanos.
Na zona vermelha do mapa, operadores de rádio amador e marinheiros podem ter notado condições breves mas completos apagão em freqüências abaixo de 10 MHz. O distúrbio, desde então, diminuiu.
Emissões de rádio naturais do sol, que são produzidas por ondas de choque na atmosfera do Sol, sugerem que a CME-Coronal Mass Ejection (Ejeção de Massa coronal) está emergindo do local da explosão a velocidades superiores a 1.400 quilômetros / s (3,1 milhões mph). Para confirmação, ainda estamos aguardando dados do coronagraph do SOHO.


Explosão solar da classe X2.2 é vista no meio do sol na tarde desta quarta-feira (11), em imagem capturada pelo Observatório de Dinâmica Solar da Nasa (Foto: NASA/GSFC/SDO/Divulgação)
Explosões solares são erupções repentinas na superfície do Sol que se caracterizam pela liberação de grandes quantidades de radiação solar carregadas e que podem ser causadas por mudanças no campo magnético.
O evento desta quarta-feira foi classificado como uma explosão da classe X2.2. A classe X denota as explosões mais intensas.


“E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o SOLe foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória” Apocalipse 16:8-9


Para mais informações sobre as erupções solares, manchas solares e o vento solar , ler “The Sun-Living with a Stormy Star”, do National Geographic Magazine>> e nos links abaixo:

A ORIGEM DO UNIVERSO

Elementos do Universo

O Sistema Solar, a Terra e a Lua

Teoria do Big Bang

BIG

A Teoria do Big Bang admite que o Universo tem uma idade limite, da ordem de 15 ou 20 bilhões de anos. Portanto, existe um instante inicial em que o Universo foi criado. De acordo com essa teoria, há 15 ou 20 bilhões de anos, uma fabulosa quantidade de energia estava localizada em uma esfera de diâmetro inferior a 1 cm, denominada ovo cósmico ou singularidade. Num dado instante (t  = 0), toda essa energia, em rápida expansão, criou o Universo, que se dilatou e se resfriou uniformemente.

A redução rápida de temperatura determinou sucessivas transformações de energia liberada, que se materializou na forma de partículas (quarks) e antipartículas (antiquarks). A matéria e a antimatéria se aniquilam, gerando uma quantidade enorme de energia na forma de fótons e obedecendo a equação de Einstein: E = m.c².

A Teoria do Big Bang apoia-se, em parte, na teoria da relatividade do físico Albert Einstein (1879-1955) e nos estudos dos astrônomos Edwin Hubble (1889-1953) e Milton Humason (1891-1972), os quais comprovaram que o universo não é estático e se encontra em constante expansão. Ou seja, as galáxias estão se afastando umas das outras. Portanto, no passado elas deveriam estar mais próximas que hoje, até mesmo formando um único ponto. Este  excesso de matéria em relação a antimatéria deu origem ao Universo em que hoje vivemos.

A teoria do Big Bang foi anunciada em 1948, pelo cientista russo naturalizado americano George Gamow (1904-1968) e o padre e astrônomo belga Georges Lemaître (1894-1966).

Essa é a explicação apresentada cientificamente sobre a origem do Universo, segundo a teoria do Big Bang. Ela é aceita pela maioria dos cientistas, porém é muito contestada por alguns pesquisadores. Deste modo, a origem do universo é um tema que gera muitas opiniões divergentes, sendo necessária uma análise mais profunda de cada vertente que possa explicar esse evento.

O Sistema Solar

SISTEMA SOLAR

O sistema solar é formado por um conjunto de planetas, asteroides e cometas que giram em torno do sol

O sistema solar está localizado na periferia da Via Láctea, mais ou menos a 30.000 anos luz do seu centro. É formado pelo Sol, uma estrela central de massa média, de características bastante comuns no universo, e por sua família de planetas, satélites naturais, asteroides e cometas. São conhecidos oito planetas, mais de 130 luas e milhares de asteroides rochosos e cometas.

O Sol, estrela de quinta grandeza, é constituído, assim como a Terra, por cinco camadas distintas (de dentro para fora): o núcleo, a zona conectiva, a fotosfera, a cromosfera e a coroa.

universo_clip_image002

                                                              O Sol em atividade. Observe a erupção liberando matéria no espaço, chamada de ejeção de massa coronal

Como todos os astros, o Sol está em um equilíbrio dinâmico, executando vários movimentos, dos quais se destacam o de translaçãorotação e revolução.  O Sol emite uma quantidade enorme de radiação, algumas fatais ao ser humano. Além dessas radiações, o Sol emite partículas eletricamente carregadas, tais como átomos, núcleos de átomos de hélio, elétrons e outras, principalmente após o aparecimento de manchas solares e “tempestades” na superfície solar.

Os planetas, astros iluminados giram ao redor do sol, descrevendo nestes movimentos órbitas elípticas, das quais ele ocupa um dos pontos, denominado “foco da elipse”.

ORB ELI
Órbitas elípticas dos planetas do Sistema Solar

De acordo com Johannes Kepler (1571 – 1630), matemático e astrônomo alemão, quando o planeta está próximo ao sol ele se movimenta com maior rapidez e, quando mais afastado, caminha mais vagarosamente (2ª lei – lei das áreas / três leis do movimento planetário).


                                                                                                                               Johannes Kepler (1610)

KE

Os planetas estão aparentemente fixos no espaço, em decorrência do princípio de atração universal descoberto por Newton e segundo o qual o equilíbrio se mantém, em virtude dos corpos se atraírem na razão direta de suas massas e na razão inversa do quadrado das distâncias.

Desta forma, quanto maior a massa, maior é a atração exercida sobre o corpo e, em caso contrário, quanto maiores as distâncias em que se encontram os planetas, menor será a força de atração.

A origem, dimensão e muitas outras questões sobre o universo ainda estão sendo investigadas. Com relação às dimensões do universo, existem os defensores do universo finito e os defensores do universo infinito. Segundo Albert Einstein, o “universo é finito, porém sem fronteiras” (Patrick Moore  1923/2012, astrônomo inglês).

A Terra

TERR

A Terra ocupa a terceira posição em relação ao Sol. A distância média em quilômetros do Sol é de 150 milhões de quilômetros. Apesar de sua simplicidade em relação ao universo, ela se torna importante graças ao fato de ser um planeta repleto de vida, o único do sistema solar até o momento. No que se refere à forma, a Terra  é um geoide, com abaulamento do equador e um achatamento nos pólos.

GEPIDE

Representação gráfica das ondulações do geoide

São vários os movimentos da Terra, porém os mais importantes são: rotação e translação.

A idade da Terra é calculada a partir de certas rochas que, ao envelhecerem, perdem partículas e energia. Essa manifestação natural, conhecida como radiatividade, ocorre permanentemente e funciona como um relógio que marca grandes intervalos de tempo. A constituição das rochas vai se modificando, sempre em um mesmo ritmo. Medindo-se a quantidade de elementos radiativos já transformados e conhecendo-se o ritmo dessa transformação, é possível calcular com segurança a idade da rocha (sistema de datação).

Desta forma, calcula-se que a Terra tenha entre 4,5 e 5 bilhões de anos, sendo que após um longo período de resfriamento, transformou-se de uma massa ou nuvem gasosa aquecida em um planeta dotado de ar, água, rochas, minerais e solo, isto é, de todas as condições que tornaram possível a existência da vida.

Curiosidades

Anúncios

3 Comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: