HÉLIO'S BLOG

Início » Arqueólogia » A História do acordo Nazista com aliens reptilianos

A História do acordo Nazista com aliens reptilianos

HÉLIO’S BLOG

#DivulgaçãoCientífica

hitler-nazismo-reptilianos-dracosA SURPREENDENTE HISTÓRIA CONTINUA 

Entrevista para Rense Radio com William Tompkins com o Major George Filer & Frank Chille. Vamos começar com isso e como eles estão disponíveis, vamos buscá-los. A última vez que tivemos Bill conosco tínhamos entrado em algumas áreas extraordinárias, e o que vamos fazer hoje à noite é continuar a alargar os horizontes, e quero dizer para o espaço, literalmente.

A História surpreendente do acordo Nazista com aliens reptilianos. Entrevista do Engº Aeroespacial WilliamTompkins a Jeff Rense, com participação de Bill (Major) George Filer e Frank Chille

Fonte: https://spherebeingalliance.com

Jeff Rense: Está bem. Essas próximas duas horas serão fascinantes. Temos de gastá-lo com. . . Esta sessão de duas horas, com William Tompkins. E, claro, também será com Bill (Major) George Filer e Frank Chille. Willian?

William_TompkinsWilliam Tompkins: Sim, estou aqui.

Rense: Vamos começar com isso e como eles estão disponíveis, vamos buscá-los. A última vez que tivemos Bill conosco tínhamos entrado em algumas áreas extraordinárias, e o que vamos fazer hoje à noite é continuar a alargar os horizontes, e quero dizer para o espaço, literalmente. Nós vamos olhar lá fora e ver o que Bill Tompkins sabe, o que ele pode compartilhar conosco, e nós temos algumas fotos, também. Se você ir para a homepage Rense.com, dê uma olhada lá e deve haver fotos sob o nome de Bill. Há algumas coisas muito provocantes lá. Se você se lembrar, Bill, onde estávamos na última vez quando deixamos a narrativa e onde você gostaria de retomá-la?

Tompkins: Bem, nós meio que paramos, no meio realmente, e se pudéssemos, eu gostaria de voltar a falar de 1942. Se pudéssemos começar por lá.

Rense: Ok. Sim.

Tompkins: Há uma situação que eu acho difícil para as pessoas perceberem e isso é que quando os Reptilianos fizeram seu acordo com Hitler e as tropas da S.S.(Schutzstaffel), foi algo completamente diferente do que qualquer outra coisa no planeta.

Rense: Quando você diz. . . quem . . . Sinto muito, Bill. Quem fez o acordo?

Tompkins: Quando Hitler fez o acordo para aceitar a assistência dos Reptilianos.

Rense: De fora do planeta. . . Eu só queria ter certeza de que todos estão entendendo. Estamos falando de uma raça de visitantes inteligente, vida muito inteligente, que são comumente referidos como os reptilianos. OK. Continue.

Tompkins: Está bem. Agora, isso colocou a Alemanha num patamar totalmente diferente. Agora, o povo alemão, é claro, não tinha permissão para saber que esse auxílio extraterrestre fora dado às S.S.(Schutzstaffel) e ao nazismo. Agora, quando eu disse dado, a eles foi realmente dado o hardware, nova tecnologia. Eles não receberam um livro para lhe dizer como operar um OVNI. Eles receberam os OVNIs, não apenas uma classe, mas 7, 8 classes e tipos diferentes – até grandes veículos espaciais em forma de charuto.

Agora, o ponto aqui é que isso significava que os alemães eram totalmente mais avançados e capazes de aprender como operar esses veículos e sair da Terra para o espaço exterior com os grupos espaciais Reptilianos e operar com eles na galáxia, essencialmente para fazer o que a Alemanha estava fazendo a este planeta (guerra de conquista), que era essencialmente tirar, eliminar as pessoas que eles não queriam no planeta e fazer do resto deles seus escravos.

Rense: Tipo como os comunistas soviéticos estavam planejando fazer.

Tompkins: Exatamente. Mas a grande diferença aqui é que quando nos envolvemos, é como quando eu estava trabalhando para o Almirante Rikibana em 1942, e ele tinha esses 29 melhores agentes da Marinha, espiões, infiltrados na Alemanha. E eles tinham estado lá pelo menos um ano antes de eu entrar nisso.

Rense: Uh huh.

Tompkins: Eles voltaram o mais rápido possível, à medida que adquiriram novas e surpreendentes informações.

Rense: Agora esta é uma incrível penetração que o serviço de inteligência norte americano foi capaz de obter de alguma forma, obviamente, homens que eram fluentes em alemão, e obtiveram credenciais e papéis para colocá-los de alguma forma em posições de extrema importância infiltrados dentro do Terceiro Reich nazista.

vril-sociedade-nazismo

Fotos de vários discos voadores nazistas tomadas em diferentes países

Tompkins: Eles eram agentes navais – espiões navais. E esses camaradas foram brilhantes. E assim eles entraram na maioria das áreas na Alemanha e nos países ocupados. Eles descobriram sobre todas essas coisas que iam acontecer  e que a Alemanha teria UFOs com velocidades capazes de. . . Perto de atingir a velocidade da luz.

Eles tinham armas que eram tão avançadas que não havia nada que tivéssemos aqui nos Estados Unidos. . . Ninguém tinha alguma ideia disso. Então os alemães rapidamente conseguiram. . . Colocar esses veículos em produção. E ao contrário dos Estados Unidos, tivemos que tomar as informações que os agentes da Marinha nos deram, divulgá-las secretamente a todas as organizações dos Estados Unidos – instalações da Marinha, universidades, Cal-Tech, JPL, Lockheed, Douglas Aircraft, Boeing. Todo mundo recebeu pacotes tecnológicos, ok? Mas a nossa posição era totalmente diferente da dos alemães. E vários anos se passaram antes que houvesse dois OVNIs que caíram (em ROSWELL) mesmo e que finalmente pudéssemos por as nossas mãos neles.

Rense: Sim, isso foi em 1947.

Tompkins: Isso mesmo. E por isso é extremamente interessante que tivemos que fazer a engenharia reversa de tudo que havia naqueles UFOs que deixaram de funcionar. Isso nos tomou muitos anos.

Rense: Sim, os alemães não tiveram esse obstáculo. Mas há, obviamente, pessoas lá fora agora que estão dizendo: “O que diabos? Se tiveram essa tecnologia, como perderam a guerra? “

Tompkins: Está bem. Essa é uma pergunta muito boa. A maneira mais fácil de responder é que eles realmente não perderam a guerra. E nós não ganhamos a guerra. O que aconteceu foi que os cientistas alemães foram contratados por toda a Marinha dos EUA e todos os grupos de inteligência militar nos Estados Unidos. Eles entraram e tomaram providências para levar um número substancial de cientistas alemães e trazê-los para os Estados Unidos. Chamava-se o Projeto Paperclip.

paperclip-operation-01

Rense: Sim, milhares deles. Sim, havia muitos deles.

Tompkins: Não foi como se houvesse apenas 6 ou 7 deles. Como você disse, havia centenas, centenas e centenas. Agora, esses cientistas alemães, na verdade, foram designados para criar a coisa chamada NASA. E eles constituíram essencialmente 80 ~ 90% da NASA. Mas isso foi apenas a primeira rodada.

Rense: Wow!

Tompkins: Eles (o governo dos EUA) continuaram a distribuir os cientistas nazistas por todas as principais corporações de sistemas que estavam em pesquisa e desenvolvimento na área aeroespacial e em bio-medicina (o já tão conhecido Complexo Industrial Militar). Eles trabalharam nessas empresas e trabalharam na medida em que assumiram o financiamento dessas empresas. E, é claro, o Grupo Bilderberg e a Comissão Trilateral estavam todos envolvidos nisso também.

Mas o ponto é que a Alemanha teve quatro anos antes de “perder a guerra”, eles decidiram que esta tremenda oportunidade que lhes foi dada para ter todos esses sistemas espaciais avançados, eles disseram: “Vamos mudar para a Antártica (n.T.a primeira expedição nazista para a Antártica se deu em 1938).” E naquele tempo em particular os Reptilianos, extraterrestres, tinham três grandes cavernas sob a terra, sob o gelo, para baixo na Antártica. E eles tinham mais duas cavernas menores. E assim eles deram essas duas cavernas menores para as tropas da S.S.(Schutzstaffel) e eles então fizeram arranjos para que os alemães projetassem e construíssem submarinos maciços como transportadores. Eles não tinham torpedos a bordo. Eles eram apenas grandes transportadores.

Rense: Certo. Certo.

Tompkins: E eles começaram a mover a construção dos UFOs nazistas, porque a Alemanha entrou na construção destes vários tipos de OVNIs com a tecnologia que lhes foram dadas. Eles começaram nesses quatro anos antes da guerra terminar.

Rense: Realmente?

Tompkins: Então eles tinham um número enorme de escravos – trabalho escravo de prisioneiros da guerra – que eles transportaram para lá também. E as famílias de todos os S.S.(Schutzstaffel) nazistas alemães foram para a Antártica com eles.

u-boat48

Um submarino U-Boat Classe VIIB, o U-48 a unidade mais bem sucedida em batalhas da marinha nazista, com 51 navios afundados e 3 danificados. Foi afundado em 03 de maio de 1945 próximo a Neustadt in Holstein, no Mar do Norte, Alemanha. Para saber mais ver em:http://www.uboat.net/

Rense: Bem, essas cavernas. . . Agora tenho imagens da expedição alemã original de 1938-39 à Antártida.

Tompkins: Sim.

Rense: Agora, essa viagem, como você sabe, foi capturada no filme e trazida de volta e, em seguida, certamente uma versão filtrada do que foi editado e lançado para os cinemas alemães. Era como um noticiário. Era como um filme de 10 a 12 minutos que mostrava os navios alemães de pesquisa que desciam para a Antártida.

Tompkins: Sim.

Rense: Agora, minha pergunta é, nesses filmes existem alguns instantâneos de cavernas subterrâneas gigantescas. Vou tirar tudo isso dos filmes. Eles são velhos e granulados, mas eles ainda são bons para serem assistidos. Eles têm música wagneriana (Richard Wagner), um pouco de trilha sonora de um narrador aqui e ali. Mas é uma coisa notável para se ver, porque é isso que eles admitiram encontrar na Antártica, e minha pergunta é, Bill, como eles desceram lá para este continente coberto de gelo e encontraram essas cavernas quase sem referências nesta viagem lá ao polo sul? Eles tinham que mostrar onde estavam. Tinha que ser.

Tompkins: Exatamente. E eles mostraram onde eles estavam instalados com os extraterrestres reptilianos.

Rense: Certo.

Tompkins: Na verdade, essas cavernas eram como países maciços.

Rense: Bem, as fotos que eu tenho. . . Há talvez, eu vou adivinhar com um terço a meia milha de diâmetro, centenas e centenas e centenas de pés de altura – cavernas enormes sob o gelo. Nenhum gelo pode ser visto. Água corrente. Perfeitamente habitável.

Tompkins: Sim. E ao lado deles estavam essas três cavernas maciças.

Rense: Eu acredito. Eu acredito nisso.

Tompkins: Realmente. E então o que aconteceu é que, como éramos a 8ª Força Aérea e os britânicos estavam pegando a Alemanha nos bombardeios, estávamos há minutos, e não anos, de perder aquela guerra. Mas isso não fazia diferença para a Alemanha, porque não apenas Hitler e sua namorada foram para a América do Sul, mas também muitos outros alemães

Rense: Martin Bohrman, Mengele, sim, havia muitos deles lá embaixo. Milhares.

Tompkins: E então tudo isso aconteceu. Eles se infiltraram em nosso programa aeroespacial e nossos sistemas médicos avançados aqui no país e, essencialmente, eles receberam a NASA, que então, é claro, eles estavam comandando, para as missões Apollo, que eram missões alemãs, antes de eles deixarem a Alemanha e irem para a Antártida. Isso era o que a Alemanha Nazista estava fazendo.

Rense: Certo.

Tompkins: Então eles vieram aqui e fizeram a mesma coisa por aqui. Eu não acho que nós sentamos e avaliamos a linha temporal de tudo isso. Eu acho que é meio difícil acreditar que você não ganhou a guerra. E é muito difícil perceber até hoje que este (o nazismo) ainda é um elemento de controle importante dentro dos Estados Unidos. E na Inglaterra também.

Rense: Uh huh.

Tompkins: É uma loucura.

Com o degelo da Antártica, aberturas para acesso à cavernas em seu interior começam a ficar descobertas.

Rense: Sim. Extraordinário. Deixe-me fazer uma pausa agora e dizer “Olá” para o Major George Filer, que está de pé agora e tem escutado muito silenciosamente. Olá, George. Bem vindo de volta.

Major George Filer: ___ de volta ontem, então estou feliz por estar de volta.

Rense: Sim. Material bastante surpreendente que Bill Tompkins está apresentando, e Frank Chille, que tornou isso possível esta noite novamente pelo agendamento, obrigado, senhor. Bem vindo.

Frank Chille: Há algumas grandes histórias que Bill pode compartilhar conosco com base nas fotos que enviei para você. Ele provavelmente lhe disse que esse disco alemão tem cerca de 250 pés de (75 metros) diâmetro.

Rense: Sim, nós vamos olhar para eles agora. Bill, você está perto de um computador?

Tompkins: Sim.

Rense: Ok, você sabe como chegar ao meu homepage?

Tompkins: Não, eu não. Portanto, devemos deixar essa parte de fora agora e por isso não temos de gastar tempo para passar por isso.

Rense: Ok. Bem, talvez na parte final da conversa nós começaremos naquela página assim que você podera ver as fotografias e então nós podemos falar sobre elas após o intervalo.

Tompkins: Está bem.

Chille: Eu lhe forneci cópias impressas delas.

Rense: Oh, ótimo. Então você tem fotos, então, cópias impressas, Bill, então vamos fazer isso depois do intervalo, de qualquer maneira. Agora, a Antártica. Tecnologia avançada. NASA – uma operação alemã nazista nos EUA. Os nazistas alemães nos colocaram no espaço. Os alemães nos levaram para a Lua, se fomos para a Lua e a maioria das pessoas pensa que fizemos isso sozinhos.

Tompkins: Nós fizemos.

Rense: Eles absolutamente estavam por trás da construção do projeto, e Bill era um designer de alguns dessas enormes espaçonaves. Não há outra palavra para elas. Elas foram construídas, aparentemente, em peças aqui em subterrâneos ou construídas no espaço. Qual é a verdade, Bill?

Tompkins: Estamos falando do programa Solar Warden?

Solar_warden-nave-charuto1-1

O Programa Solar Warden mantém uma frota de várias naves espaciais. É constituída por oito enormes naves-mãe em forma de charuto e cerca de quatro dúzias de “navios exploradores” menores. Centenas de “Marines Espaciais” estão em serviço a bordo destas naves e cada nave-mãe tem uma tripulação adicional de aproximadamente 300 cientistas e técnicos a bordo. A Frota Espacial é operada pelo NNSOC (United States Naval Network and Space Operations Command).

Rense: Sim.

Tompkins: Está bem. Os projetos para algumas delas foram nas instalações de engenharia de Douglas Aircraft, em Santa Monica, Califórnia, no think tank secreto.

Rense: Quais anos teria sido, Bill? Com licença. Que anos aproximadamente isso teria sido?

Tompkins: Isso foi em 1942, 1946. Esse período de tempo.

Rense: Ok. Entăo isso é durante a guerra, pessoal. Eles estavam projetando espaçonaves na Douglas Aircraft durante os anos de guerra. Tudo certo.

Tompkins: E, claro, estávamos usando a informação que o. . . No escritório do Almirante Rikibana. Era comandante da estação aérea naval em San Diego e eu era seu ___ publicado. Ninguém soube o que se estava fazendo realmente com estes espiões operativos que voltavam da Alemanha Nazista com toda esta informação sobre o espaço.

Rense: Certo.

Tompkins: Então, mais tarde, fui trabalhar para a Douglas Aircraft no think tank secreto. E uma das coisas interessantes é um dos pacotes, um pacote de propostas, e que eu voei por todo o país para que todas essas informações fossem divulgadas secretamente às organizações aeroespaciais, encontrei um dos meus próprios pacotes que eu tinha feito 10, 12 anos antes e dado à Douglas Aircraft.

Rense: Uau. Eu estou condenado!

Tompkins: Louco.

Rense: Isso é loucura. OK. Então, minha pergunta sobre essas espaçonaves enormes. . . Você ouviu Bill dizer isso. E se você não entendeu, foi o programa Solar Warden (Guardião – do sistema – Solar). Como o homem que dirige uma prisão – um protetor, um guardião. Solar Warden é o nome do programa. Essas grandes embarcações que foram construídas, como foram construídas e onde foram construídas. Esse é o grande negócio. Elas foram construídas aqui e voaram para o espaço? Deve ter sido.

Tompkins: Está bem. Não eles não estavam aqui (na Terra).

Rense: Ah, bem, veja. Lá vai.

Tompkins: Está bem. Uma das instalações que foi usada fica à leste das montanhas de Wasatch em Utah. Esta era uma caverna muito, muito grande. Tem mais pequenas ao lado dela, mas é um enorme caverna. E eles foram capazes de montar os sistemas espaciais da Lockheed, espaçonaves com cerca de um quilômetro de comprimento, e que a Marinha dos EUA agora tem oito desses grupos de batalha espaciais na região do sistema solar.

Eu não sei qual a missão real agora, mas para a maioria dos períodos os primeiros foram construídos e sairam para o espaço exterior, para a galáxia porque eles foram construídos aqui. Eles estavam operando com apenas um dos oito que operavam em torno do sistema solar. Os outros estavam na galáxia operando conjuntamente missões contra Reptilianos e outras raças alienígena más, mas trabalhando em conjunto com a Frota (aliens Tall Whites?) Nórdica, e que eram a raça alienígena que tinha também nos ajudado pelo menos no projeto Apollo.

Rense: Uh huh.

Tompkins: Assim, os veículos espaciais são construídos um pouco como uma aeronave, como um porta-aviões, e é interessante que a Northrop-Grumman, eles montaram um programa onde eles voltaram para a Virgínia e eles compraram a maior instalação de construção de porta-aviões do planeta. Eles compraram isso para que eles pudessem ter seus engenheiros entrando e trabalhando com todas as pessoas da construção e engenharia da Marinha que construíam os porta-aviões.

Rense: Portanto, este foi um enorme estaleiro de construção naval. Tem que ser.

Tompkins: Sim.

Rense: Eles flutuam as embarcações concluídos na água em algum lugar. OK.

Tompkins: Então este é o estaleiro Newport News Shipbuilding na Virgínia.

Rense: Entendi.

Tompkins: E então eles tiveram seu pessoal, o povo da Grumman, estudando com os engenheiros da Marinha, designers de todas as áreas de um porta-aviões. E surpreendentemente, Newport News também constrói submarinos da Marinha. E na Douglas Aircraft, no think tank secreto, estávamos estudando cada tipo de veículo espacial que precisávamos criar para a galáxia, então nossa Marinha dos EUA. Então submarinos surgiram e discutimos isso. Nós dissemos: “Essa é a coisa mais fácil, a maneira mais rápida, podemos chegar lá. Tomaremos apenas um submarino da Marinha, retiraremos todo o sistema nuclear, colocaremos o sistema de propulsão anti-gravitacional e vamos usá-los imediatamente.

solar_warden_hillenkoetter-usss

Ilustração com base em testemunho ocular © Copyright 2015 TheObjectReport.com | Alta Resolução Imagem. O Almirante Roscoe Hillenkoetter foi o primeiro diretor da CIA, e foi também um membro de uma organização de pesquisa UFO, o Comitê Nacional de Investigações de Fenômenos Aéreos (NICAP). Em 1960, o New York Times relatou que Hillenkoetter tinha enviado uma carta ao Congresso que incluía a seguinte declaração: “Nos bastidores, oficiais de alta patente da Força Aérea estão sobriamente preocupados com fenômeno UFOs Mas através de segredo oficial e do ridículo, muitos cidadãos são levados a acreditar que os desconhecidos objetos voadores não fazem sentido“. Embora Hillenkoetter lutasse pelo fim do sigilo UFO, ele finalmente parou de comentar sobre o assunto. Alegados documentos secretos que vazaram para ufólogos listam Hillenkoetter como um membro do grupo Majestic 12, uma organização composta de altos oficiais militares das forças armadas e civis criado pelo presidente Truman para gerenciar inicialmente a questão UFO e nossas relações com extraterrestre. O MJ-12 foi o embrião do que mais tarde se tornou o GOVERNO (DE FATO) OCULTO DOS EUA.

Rense: Então isso foi na década de 1950.

Tompkins: Sim.

Rense: Tudo bem. Isto é . . . Eu ia perguntar sobre a propulsão, isso nos foi dado (por extraterrestres) ou obtivemos de outra forma a engenharia de sistemas de propulsão anti-gravitacional, que entrou no submarino real que estava sendo construído. Conversão muito simples na verdade. Muito esperto.

Tompkins: Sim.

Rense: Aguente agora, Bill. Temos de fazer uma pausa por apenas alguns minutos. Vamos voltar com Bill Tompkins. Seu livro é “Selected by Extraterrestrials”, volume um de talvez quatro volumes próximos. E você pode obter esse direto em sua tela apenas clicando em Bill Tompkins nome e convidados. Dê uma olhada. Não descarte tudo isso, pessoal. Onde há fumaça há fogo. Lembre-se disso. De volta em alguns minutos. Aguente.

(23: 33 ~ 23: 58 – BREAK)

Rense: Ok, vamos voltar para o nosso convidado Sr. Bill Tompkins. George Filer, alguma coisa que voce queira adicionar a esta primeira meia hora que fizemos com Bill esta noite?

selected-extraterrestrials-secret-think-tanks-secretaries

Livro de Willian (Bill) Tompkins

George Filer: Bem, eu estive no estaleiro Newport News em porta-aviões e submarinos. Eu acho que você poderia, teoricamente, colocar um sistema anti-gravitacional (num porta-aviões e/ou submarino) e fazê-lo funcionar como uma grande nave espacial.

Rense: Você poderia construir algo tão grande quanto um porta-aviões, na sua opinião, naquele estaleiro sem que ele chamasse muita atenção? O que você faria, com que parecesse. . . Vou pedir ao Bill isso em alguns minutos. Você faria parecer como um grande porta aviões ou você faria parecer uma espaçonave? O que você faria?

Filer: Bem, algumas dessas áreas são bloqueadas. Em outras palavras, seria preciso um certo grupo de homens que…

Rense: Sim, você teria que sobrevoar sobre o local, no que seria um espaço aéreo restrito, eu acho.

Filer: Ou você poderia lançar. . . Você sabe, eles lançam e depois trabalham neles mais tarde e às vezes em outro lugar.

Rense: Então, construir uma grande espaçonave como um transportador em Newport News poderia facilmente ter dado lugar a todo o apoio à construção e tecnologia necessária para construir algo mais inteiramente em um desses grandes. . . Nós vamos chamá-los de uma doca em que eles vão construir algo dentro. Tudo bem, bom, George. Frank, qualquer coisa que você queira entrar aqui?

Frank Chille: Sim, eu acho que o que Bill estava tentando sugerir é que eles levaram os desenhos para aqueles docas secas e eles os copiaram em uma caverna ou em outro lugar em algum outro lugar para construir essas embarcações.

Tompkins: Ah, tudo bem.

Chille: Eles não usaram as instalações da Newport News. Utilizou-se o desenho das docas e se modificou-as.

Rense: Vamos descobrir de Bill Tompkins. Ok, Bill, diga-nos como eles fizeram isso. Foi isso . . . Isso é correto o que Frank disse que eles fizeram em Newport News e copiaram as docas de construção para esses navios enormes e reproduziram-os em cavernas sob o solo? Isso é exato?

Uma espaçonave menor exploradora aterrissando em base dos EUA no Novo México:

Tompkins: Sim. Isso é realmente o que aconteceu porque na verdade você já viu antes onde um guindaste está colocando uma seção de proa em um porta-aviões. É uma enorme peça grande que eles levantam e eles vão montá-la. E assim o mesmo tipo de montagem de construção eles, é claro, foram usadas nas instalações subterrâneas em Utah. Assim, a curva de aprendizado. . . Essa foi uma maneira legal de fazer isso porque eles passaram por essa curva de aprendizado. . . Esta é uma empresa que constrói aviões. OK? A Northrop-Grumman constrói aviões.

Rense: Certo.

Tompkins: E este não era o campo deles. Eles perceberam isso e eles emprestaram o dinheiro e eles compraram a coisa toda – Newport News Shipbuilding, que é o. . . Na verdade, foi construído na Guerra Civil.

Rense: Huh.

Tompkins: Essa instalação.

Rense: Wow!

Tompkins: E assim tem sido usado há anos. E é a maior instalação (estaleiro) para construção de grandes navios do planeta. Então, para usar e estudar a construção isso foi perfeito. E, em seguida, simplesmente usaram o mesmo bloco como. . . se usa . . . Como as crianças brincam com uma caixa, construiram a caixa e depois montaram a caixa exatamente como você monta um porta-aviões.

Rense: Eu sei.

Tompkins: Então, a mesma montagem técnica e engenharia ajudou-os a construir esses transportadores de espaçonaves de um quilômetro (ou mais) de comprimento.

Rense: Certo.

Tompkins: E havia um número de submarinos __, que foram convertidos (para espaçonaves), mas na verdade outros tipos de naves, caças espaciais e espaçonaves de apoio para os oito grupos de batalha da Marinha, que é realmente o programa Solar Warden (Guardião – do Sistema – Solar).

Rense: Solar Warden tem oito grupos de batalha. Estes são como, eu acho, grupos navais de batalha nos oceanos, mas eles estão no espaço exterior.

Tompkins: Sim.

Rense: O mesmo tipo de conceito.

Tompkins: E então aqueles realmente eram. . . Os primeiros foram levados para fora do sistema solar, para a galáxia e eles têm. . . Eles não têm suas instalações para manutenção ou operação ou mudanças ou para operar novas armas ou o que quer que seja, tudo isso é feito em (instalações) planetas de outros sistemas solares.

Rense: Agora, por que ir para fora do sistema solar com isso? Tão rápido. Quero dizer, é um rápido e grande salto. Eu podia ver algumas espaçonaves – eu estou sendo advogado do diabo aqui – mas você vai para fora do planeta. Você entra no sistema solar. Há muito para se ver no nosso sistema solar. Assim eles poderiam construir bases como você sabe na Lua, em Marte, em Vênus, quem sabe. Mas por que entrar na galáxia?

Tompkins: Está bem. A primeira razão é que o nosso satélite não é a “nossa” Lua, bem como este não é o seu planeta. Você tem que ficar realmente com o programa. A Lua não é uma Lua. Ela é totalmente OCA. Nosso satélite é um enorme centro de controle (extraterrestre) para esta região da galáxia.

Rense: Realmente? Quem dirige este local? Bill, quem comanda este centro de controle na Lua?

Tompkins: Temos provavelmente 10 ou 12 civilizações extraterrestres separadas fazendo isso – Reptilianos sendo uma delas. E é por isso que não voltamos mais (oficialmente) para a Lua.

Rense: Nós fomos avisados para não ir mais lá, eu acho. Sim.

Tompkins: Sim. E os reptilianos nos disseram:

“Vão em frente e terminem duas ou três missões, mas peguem suas pedras e tirem suas fotografias e não voltem mais. Esta não é a sua lua”.

Rense: Isso certamente vai de mãos dadas com os relatos dos astronautas que nós vimos e você pode encontrá-los on-line de terem visto uma enorme nave espacial estacionada ao redor da borda da cratera quando uma das missões Apollo desembarcou na Lua. Há tantas imagens de formações muito, muito estranhas na Lua, coisas anômalas. Sabemos o que há em Marte. Está cheio de detritos de uma civilização avançada lá em cima.

Então, ok, a Lua começou a ser, eu vou adivinhar, um corpo planetário normal e eles a escavaram. Eles a escavaram e eles converteram-na em um enorme labirinto de cavernas. Isso é correto ou foi a coisa toda uma construção criada em torno da ideia de que ela era completamente oca?

Reptilianoolhargif

Tompkins: Está bem. Há duas versões sobre isso e eu tenho que dizer que não posso te dizer qual é verdadeira. Uma delas era que a Lua foi parcialmente retirada de um outro planeta. O outro é que era um veículo novo que foi construído.

Rense: Wow!

Tompkins: Mas é completamente oca. Está cheio. . . Tem cidades por toda ela – dentro dela. E assim a melhor coisa a fazer é trabalhar com a Frota (aliens Tall White) nórdica. OK?

Rense: A Frota Nórdica. OK.

Tompkins: Sim. Portanto, não é a Marinha da Marinha dos EUA, mas estamos operando, e temos estado, desde os anos 80, com a Frotaa Nórdica. E essas pessoas. . . É mais fácil descrever a situação lá. . . Por cada dez grupos de batalha da Marinha nórdica, os Reptilianos têm 100. Então, estamos em desvantagem, pelos números, mas a Frota nórdica tem sido tremendamente apoiante nossa. Nossa Marinha trabalha com eles e na verdade está em guerra não apenas com os reptilianos no espaço, mas também várias outras civilizações ruins (Greys, Insetoides, Mantids).

Rense: Isso é uma guerra com tiros ou é uma guerra diplomática?

Tompkins: É ambos. E é ambos e, infelizmente, às vezes se torna num intenso tiroteio. E o que você tem, então, são os nossos grupos de batalha do Solar Warden, sete deles de qualquer maneira, com seu serviço, suas atualizações de novos equipamentos e manutenção e tudo isso nas instalações da Frota nórdica.

Rense: Na nossa Lua.

Tompkins: Não na Lua. Fora na galáxia.

Rense: Uau! Tudo certo. Portanto, não temos Model-Ts. Temos avançados veículos espaciais anti-gravidade, hiper-drive, que viajam por todo o lugar aparentemente.

Tompkins: Sim.

Rense: Nós temos. . . É um salto bem rápido, Bill. Essas outras raças alienígenas estiveram se desenvolvendo neste quesito provavelmente por milhares de anos. Nós recebemos as chaves para o novo T-Bird e dissemos: “Vá lá!” E nós decolamos. Nós vamos para o espaço e estamos fora e correndo.

Tompkins: Bem, na verdade não conseguimos as chaves para isso. Tivemos de dar um passo atrás e olhar para o que a Rússia tinha e o que a Alemanha tinha, porque eles também receberam espaçonaves – todos os tipos diferentes, mais de 40 tipos diferentes de veículos. OK?

Rense: Onde você conseguiu aquela figura, Bill, dos espiões que voltaram?

Tompkins: Sim. E isso é completamente diferente. Tínhamos que estudar o que nos disseram. É o que os pacotes tecnológicos foram para que o almirante Rikibana me pedisse para viajar a essas bases com as propostas, com os pacotes, e obter das universidades e de todas as organizações de pesquisa naval e militar para tomar um pacote e tentar fazê-lo funcionar. Mas tínhamos um pacote (tecnológico). Nós não tínhamos nem mesmo as partes de UFOs acidentados por algum tempo. Mas a Alemanha tinha novos veículos brilhantes – os seus UFOs.

Rense: Obtidos dos reptilianos?

Tompkins: Dos reptilianos. Nós não tínhamos as chaves. OK?

Rense: Eu entendo.

Tompkins: O que tínhamos era a informação.

Rense: Uh huh.

Tompkins: E nós tivemos que trabalhar com ela.

Rense: Uau! Agora você . . . Certo, vamos. . . Se você tem essas fotos, vamos ver as fotos agora.

Tompkins: Está bem.

Rense: E para os nossos ouvintes, vá para a seção convidado. Você sabe onde está no lado esquerdo [na verdade o lado direito] em Rense e procure Bill Tompkins. Olhe sob isso e você verá “The Amazing Story Continues” e você verá o link “Fotos”. Clique em Fotos. E a primeira imagem que surge é uma grande nave em forma de disco com um par de luzes visíveis. Aparentemente [ela] pousou no convés de um porta-aviões americano. Conte-nos sobre essa foto, Bill. Qual é a história dela?

ufo-tall-whites-porta-aviões

Espaçonave alien Tall White pousada no convés do porta aviões USS Coral Sea

Tompkins: Está bem. Na verdade, as aeronaves que você está vendo lá no convés de vôo, esses são caças Grumman A-6 Intruder, que eram um tipo de aviões de ataque .

Rense: Certo.

Tompkins: E esse navio é o porta aviões USS Coral Sea CVA-43.

Rense: Quando é que foi isso, durante o Vietnã?

Tompkins: Não. Pouco antes desse período.

Rense: Ok.

Tompkins: Você está olhando para o convés de vôo, com os aviões e um UFO aterrissa e. . . Eu quero clarear esta situação sobre seu trem de pouso. Esse trem de pouso dobra para o centro. Não se dobra para as laterais.

Rense: Eu entendo.

Tompkins: . . . Em direção à ponta. Então ele se dobra. E a parte branca embaixo dela é apenas luz refletida. Não é gás nem nada. Você percebe que o fundo da espaçonave é muito brilhante. E isso é radiação saindo do fundo da espaçonave.

Rense: Agora você fala sobre radiação. Estamos falando do tipo de luz anti-gravidade produzida por plasma? É material radioativo?

Tompkins: Sim, certo. Mas não é radioativo. É luz irradiada.

Rense: É luz irradiada. OK. Entendi.

Tompkins: Luz irradiada. OK? E então essa espaçonave aterrissou no convés do porta aviões e há toda uma história sobre como isso aconteceu e se você olhar para o meu livro e olhar para a página 2, surpreendentemente, você vai ler sobre esse pouso.

Rense: Tudo bem.

Tompkins: É há um grande número de UFOs extraterrestres dos nórdicos (aliens Tall Whites) que aterrissaram em porta-aviões da Marinha dos Estados Unidos. E o que você está olhando. . . Você está olhando para ele a partir do fundo da ponte de comando do porta aviões, porque nos porta aviões mais antigos a ponte é muito mais para a frente do que nas fotografias que você tem mais tarde.

Rense: Você conhece seus porta-aviões, Bill. Bill Tompkins era um gênio do design, do modelismo, construtor de réplicas de embarcações quando um jovem estudante. Foi assim que ele entrou na Marinha, em primeiro lugar. Diz, “foto oficial da marinha dos EUA” à direita. Agora, muitas pessoas diriam, “Vamos lá, isso é fácil. Photoshop, nenhum problema. “

Tompkins: Sim. Ok, mas deixe-me explicar um pouco mais. Novamente, você está olhando para isso . . . Este é o primeiro deck. . . Acima do primeiro convés.

Rense: Acima do convés de vôo.

Tompkins: Sim, o convés de vôo. E você está olhando para o ângulo esquerdo da área de desembarque e, às vezes, decolar da área onde a plataforma de vôo não é retangular. Ele tem uma enorme estrutura no canto sobre o lado esquerdo do mesmo. Então você está olhando para a parte mais larga do convés de vôo.

Rense: Eu vejo.

Tompkins: Então o cara (o fotógrafo) escolheu o melhor ângulo e eles disseram para ele escolher aquele canto e haveria menos perturbação para nós.

Rense: E podemos acrescentar que os aliens nórdicos, de novo, se parecem exatamente o mesmo que nós, humanos da Terra.

Tompkins: Sim.

Rense: Eles também são conhecidos como os seres loiros altos (Tall Whites), então eles desembarcam dessa espaçonave, eles andam em meio as pessoas. . . Quero dizer, eles se parecem com nós. OK? Continue.

mulher-alien-tall-white

Uma Alien da raça Tall White, a grande diferença é a estatura, são seres bem mais altos do que a média da raça humana da Terra

Tompkins: E lá esta toda a história. . . a situação . . . É uma longa história. Eles vieram de uma de suas espaçonaves. Então eles vieram para falar com o almirante que é o comandante naquele grupo de batalha em particular. E eles fizeram seu programa e suas reuniões e nosso almirante partiu com os aliens, deixando o capitão no comando do porta aviões e algumas outras pessoas e eles decolaram naquela espaçonave e rumaram para a nave-mãe dos nórdicos. E, é claro, eles os trouxeram de volta mais tarde. Como eu estou apenas dizendo, há uma história inteira de todos estes. . . Porque . . . Esses UFOs pousaram em nossos porta-aviões muitas vezes. OK? É bom porque ninguém pode vê-los fazendo isso em alto mar.

Rense: Eu entendo, exceto a tripulação, e eles provavelmente são mantidos sob o convés a maior parte do tempo e orientados para não falarem a respeito.

Tompkins: Sim. Eles disseram . . . O livro . . .

Rense: Eu não vejo muito pessoal da tripulação por ali olhando, então. . . OK. Agora, outra pergunta. Você já … E isso é para os nossos novos ouvintes. Você já esteve a bordo destas espaçonaves? E você esteve em alguma base do Solar Wardem, nas espaçonaves imensas, que estão lá fora?

Tompkins: Eu pessoalmente, não.

Rense: Tudo bem. Com quem falo para te levar? Você merece ir. Ha, ha.

Tompkins: Sim. OK. Agora, eu usei a visualização remota, que muitas pessoas usam e, eu acho, há provavelmente 20 maneiras diferentes de exibição remota. Mas eu usei com o pessoal da Marinha.

Rense: Protocolo da Marinha. OK.

Tompkins: Sim. E assim para mim é o mais fácil e eu não posso fazê-lo funcionar o tempo todo, mas eu tenho ido a bordo de suas imensas espaçonaves transportadoras, e eu falei com as pessoas e voltei. E então eu sei que um monte de outras pessoas têm visto isto remotamente e voltado, mas eu não tenho ido fisicamente lá. E na visualização remota que eu fiz, ela me leva várias vezes mais para fazê-lo, mas eu defini um alvo, e eu fico bem e relaxado, o que é difícil para mim. E é à noite. Esse é o melhor momento para mim. Eu estabeleço um alvo e estaria a bordo da nave espacial dos aliens (Tall Whites) nórdicos. E eu acabo na ponte. Eu posso ver isso. Eu posso ver, você sabe, todas as outras pessoas lá. Na verdade isso. . .

Rense: Eles não te veem.

Tompkins: Sim. Isto está no meu livro. E na verdade eu posso ver tudo o que está acontecendo e, em seguida, em um ponto que vai limpar e eu passar a falar com o capitão e os almirantes e os oficiais. E depois eu vou voltar para a cama. E um monte de outras pessoas tem visão remota e eles são capazes de fazer isso muito melhor do que eu posso, porque eu não posso fazê-lo às vezes. A visão remota é um tipo de veículo suave. Realmente abre uma janela.

Rense: Bem, estamos cientes de que, neste programa com Dick Allgire e tiveram muitos dos grandes ao longo dos anos, então, sim, nós entendemos. OK.

Tompkins: Podemos olhar para uma das outras fotos.

Rense: Nós estamos indo lá em seguida. Seria essa uma espaçonave alemã?

Tompkins: Sim.

Rense: Ok. Basta rolar para baixo, pessoal, para a segunda foto, que, novamente, é absurdamente grande. Você terá que vê-la. Eu não sou tonto para descrevê-la. É um disco e parece que está pronto para a guerra. Parece que tem uma plataforma de artilharia muito pesada. Diga-nos de que se trata.

UFO-NAZISTA-WWII

Um UFO-OVNI nazista. O Haunebu III, com cerca de 75 metros de diâmetro, um só exemplar construído, voou pelo menos 19 vezes.

Tompkins: Está bem. Na verdade, o que é interessante é se você olhar para o trem de pouso, não há realmente estes… como . . . Eles têm quatro rodas em cada um deles. . . Duas rodas em cada suporte que aponta para baixo como um trem de aterrissagem em uma aeronave.

Rense: É uma fotografia incrível. Você pode nos dar um pouco do pedigree dela – quando e onde isso poderia ter sido feito? E, sim, o trem de pouso é extraordinário. Eu nunca vi nada parecido. É notável.

Tompkins: Sim. Você nunca viu nada parecido. Há sete classes desta espaçonave em particular. O que é interessante é que um daqueles que . . . Acho que foram apenas três deles construídos. Mas eles foram construídos em aço chromoly [Uma liga de aço forte muito resistente feita principalmente de cromo e molibdênio]. E não lhes foi dito para fazer isso. Eles fizeram isso sozinhos.

Rense: Huh.

Tompkins: Os extraterrestres deram-lhes os materiais de que necessitavam para construí-las, mas os alemães, de qualquer maneira, construíram um e depois construíram parcialmente mais dois. E eles fizeram eles de aço cromado e qual é a parte interessante sobre isso, os operários nos disseram, foi que em primeiro lugar, o cara que está pilotando, tudo o que ele faz é usar a mão esquerda em um painel de controle, e ele é então capaz de conectar seu cérebro ao painel de controle (controle por simbiose). E ele comanda o veículo com a força do seu pensamento. Então ele só pensa quando ele quer decolar, quando ele quer aterrissar, quando ele quer virar ou para onde quer ir. Mas ele não faz nada. Ele coloca a mão, a mão esquerda, em um recuo em alto relevo da mão, que está no painel de controle. É isso aí.

Rense: Ok. Compreendo.

Tompkins: Não há controles manuais, nada. E quando os rapazes com o aço cromo um. . . Isso pesava tantas toneladas, que nem sequer conseguiam movê-lo. OK?

Rense: Uh huh.

Tompkins: Mas o cara coloca sua mão no local adequado, e ordena através do seu pensamento e a nave levita como uma pena. Apenas foi para a direita para cima. Ha, ha.

Rense: Então os alemães construíram este. . . Isto é durante a guerra?

Tompkins: Sim. Durante a segunda guerra. 

Rense: Sim, eu entendo.

Tompkins: Foi muito, material muito leve que eles usaram. Parece que ele iria pesar uma centena de toneladas, e aço chromoly realmente é pesado. Mas foi interessante que eles desmantelaram os outros dois.

Agora, você também vai notar nessa fotografia, você pode ver um canhão se destacando no topo. Se você olhar de perto, você pode ver armas saindo na parte inferior também. Eles tinham essas armas saindo dos que estão lá no fundo. . . Portanto, estes são um arma do tipo laser. Elas não são . . . Eles não tinham balas. Havia muito, equipamento muito avançado. E a parte superior não gira. É fixa. A rotação que dá ao UFO a capacidade de elevação está no topo do UFO.

Rense: Eu vejo.

Tompkins: Está girando no sentido anti-horário e no sentido horário.

Rense: Bem, tudo bem. Agora, temos que fazer uma pausa, e vamos voltar e revisitar esta imagem e continuar com a descrição. Então, qual é o diâmetro desta embarcação?

Tompkins: Cerca de 250 pés (75 metros).

Rense: Wow! Isso é incrível. Eu já vi esta foto antes, mas eu não tinha nenhuma informação sobre isso, então vamos continuar com Bill Tompkins. Um comentário rápido, George Filer, se você quiser?

Filer: Bem, a espaçonave nazista é incrível, obviamente. Mas espero que tenhamos algo assim. Estou me perguntando por que não temos essa capacidade em nossas viagens em avião comercial todos os dias.

Rense: Bem, eles estão nos mantendo por trás da bola 8. Eles não querem que nós saibamos por alguma razão. Frank, qualquer coisa que você queira adicionar rapidamente?

Chille: Sim. Há um pouco de uma história lateral no disco que pousou no porta-aviões. Acredite ou não, essa fotografia original foi-me mostrado por Graham Bathim (?) Há mais de 15 anos.

Rense: Uh huh.

Chille: E eu a segurei em minhas mãos. Ele me permitiu fazer uma cópia dela. Era em papel muito real e no outro lado esta escrito: “US Navy, top-secret, apenas para ver, 1955”.

Tompkins: Huh.

Chille: E Graham sempre teve algumas fotografias incríveis, mas ele me deixou fazer uma fotografia disso, mas ele nunca me contou sua história de fundo. Quando eu disse a Bill sobre isso, ele disse: “Frank.” Ele diz, “você pode me trazer a foto?” Ele diz: “Acho que conheço a história por trás disso.” E ele pegou a fotografia hoje e ele disse isso se encaixa diretamente em seu livro, começando na página dois.

Rense: Ok. Tudo certo. Muito bom. Espera. Continuaremos em apenas alguns minutos. Não vá embora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: