HÉLIO'S BLOG

Início » Direitos autorais » O PLANETA DOS ANJOS

O PLANETA DOS ANJOS

https://helioaraujosilva.wordpress.com/

Categorias

HÉLIO’S BLOG

#Divulgação Científica

Facebook , Twitter :@Heliosblog, Linked

Artesão Da Luz

A teoria mais aceita para a criação do cinturão de asteróides é “falha de crescimento planetário” – que ocorreu durante o início primordial do sistema solar num planeta que os astrônomos chamam atualmente de Astera e que estava se formando no lugar agora ocupado pelo Cinturão de Asteróides, mas devido à sua massa insuficiente, e devido à gigantesca influência gravitacional de Júpiter, ele foi fragmentado. Porém, esta teoria não está correta, pois tornou-se óbvio que, tanto o planeta Marte quanto o planeta misterioso (Astera) pai do cinturão de asteróides, possuiam oceanos na antiguidade e sustentavam atmosferas. Este corpo planetário foi fragmentado em um cataclismo de proporções bíblicas. E por que? Qual o mistério da sua destruição?

Antes da criação de Adão, existiram civilizações de anjos nos planetas terrestres criados por D’us. Ao longo das Escrituras Sagradas há referências consistentes para os primeiros lugares de habitação de alguns dos antigos filhos de Deus. Estes anjos construíram habitações na Terra, Marte, Astera – o quinto planeta, a Lua, etc. Os versos de Ezequiel 28:13 e 14 dizem: “Estavas no Éden, jardim dos Elohim (anjos), e de cada pedra preciosa foram feitas as tuas moradas. Andavas incólume, de um lado para outro, em meio as pedras de fogo”.

O verso está se referindo a Samael e estas pedras de fogo são os planetas e estrelas pelas quais Sammael, aqui referido em Ezequiel capítulo 28, e que é chamado de Lúcifer na tradição cristã, andava.

Vemos acima o texto original hebraico de Ezequiel capitulo 28 versos 13 e 14, nós encontramos o termo “Kochav (Planeta)” codificado a cada nove saltos equidistantes e que está ligado com as palavras “be’Har Qadosh Elohim (no Monte Sagrado dos Anjos)”. Esta era uma das residências, um dos planetas do sistema solar.

Quando Sammael se rebelou, Deus o colocou como profano do alto do céus. Por causa de sua rebelião, ele foi destituído dentre as “pedras de fogo”, os planetas, onde reinava sobre os reinos materiais. Evidências da civilização em Marte ainda podem ser vistas, enquanto outra civilização, a dos B’nay Ha’Elohim foi destruída completamente, tornando-se o cinturão de asteroides. Este era o planeta Astera.

Quando Sammael e seus anjos se rebelaram, D’us destruiu seus lugares de habitação, suas moradas. De acordo com as Escrituras Sagradas essa destruição foi rápida e decisiva. O sexto planeta terrestre que Deus chama de “Raabe” (ostentador do orgulho) foi removido (Jó 26:11-13).

Deus trouxe um fogo do meio do centro do maior reino planetário de Sammael. O planeta Raabe explodiu lançando pedaços de si nas órbitas dos mundos interiores terrestres. Impactos de asteroides na superfície de Marte abalaram o planeta, lançando oceanos de lava ao longo de sua terra seca. A atmosfera marciana foi lançada rumo ao espaço devido a este gigantesco impacto.

A foto de Marte acima tirada pela sonda Mars Express, mostra a gigantesca cicatriz resultante do monstruoso impacto sofrido pelo planeta vermelho. Na Terra praticamente as mesmas catástrofes ocorreram, destruindo cidades que existiram aqui antes que Adão fosse deportado para cá ( Jeremias 4:23-26). O profeta viu as eras anteriores à Adão e descreveu a destruição da Terra.
Não havia homens (descendentes de Adão), mas haviam cidades que foram destruídas pela ira de Deus. Quem habitava nestas cidades? Os anjos.

Nunca na história, desde a criação de Adão, o homem foi completamente dizimado da terra, nós mesmos somos descendentes de Adão. Um exemplo disto foi o dilúvio. Os habitantes destas “cidades” foram na realidade as hostes angelicais, os B’nay Elohim, antes da rebelião.

“Observei a Terra, e eis que era sem forma e vazia; também os céus, e não tinham a sua luz. Observei os montes, e eis que estavam tremendo; e todos os outeiros estremeciam. Observei, e eis que não havia homem algum; e todos as aves dos céus haviam fugido. Vi também que a terra fértil era um deserto; e todas as suas cidades estavam derrubadas diante do Eterno, diante do furor da Sua ira.”Jeremias 4: 23-26

Quando o profeta Jeremias menciona que os céus não tinham a sua luz, refere-se à escuridão resultante dos escombros lançados na atmosfera pelo impacto do gigantesco asteroide em Yucatan na terra escurecendo os céus. Esta pedra celeste, parte do planeta angelical era tão grande que, enquanto uma ponta tocava a terra, a outra estava a 9.000 metros de altura. À medida em que ele se aproximava do nosso planeta a temperatura ia subindo e chegou ao ponto o planeta entrar em combustão espontânea. O impacto liberou uma energia equivalente a todo arsenal atômico que o mundo possui hoje. Tudo foi incinerado transformando o mundo em deserto, como nos diz o profeta Jeremias “Vi também que a terra fértil era um deserto…”. Este foi o impacto que resultou na extinção dos dinossauros há 65.000.000 de anos, número este de alto significado, pois 65 é o valor do Nome divino “Adonai (Senhores)” que é o Nome que está sobre malchut. Este era também um mundo angelical.

Há alguns anos, houve uma suspeita de que, o asteroide que chocou-se em Yucatan era um da família Baptistina, um dos grandes asteroides resultante da fragmentação do mundo angélico, o chamado de “Asteroide 298”, classificação esta que nos fornece uma pista muito interessante, pois é a gematria de “rotzach (רצח)” cujo significado é “assassino”.

E o que significa “todas as aves do céus fugiram? O Zohar, quando nos conta sobre a criação dos anjos, revela que eles foram criados no quinto dia, e eles são chamados “aves dos céus” conforme o verso 21 do Gênesis 1º “… e toda ave segundo sua espécie…”. Os pássaros que fugiram daqui foram os anjos e suas hierarquias (espécies).

Pirâmides encontradas em diversas regiões mundo não teriam sido construídas por civilizações de humanos mas, por hierarquias angelicais? Sim! É a resposta para este enigma.

Diz o autor: “Enquanto eu estudava este mistério e buscava por evidencias, minha consciência se ampliou de tal forma, que, num sonho lúcido eu vi a prova no Tana’k (Bíblia Hebraica) de que foram realmente os Elohim (Anjos) quem edificaram as pirâmides”. Confira a evidência abaixo:

Acima, no centro nos temos, dentro das letras hebraicas do livro do profeta Ishayahu (Isaías) no capítulo 45:8 ao 45:18 o termo Pirâmides e cruzando-o está “Eles, os Elohim, fizeram”. Portanto, as pirâmides não foram construídas por seres humanos, uma vez que eles ainda não estavam na terra, mas sim pelas divindades angelicas, e não somente aqui na terra, mas em todos os mundos do sistema solar e da galáxia, para espelhar a engenharia angelical de seus universos, as contelações.

As palavras exatas de Gênesis 1:2 “E a terra era sem forma e vazia”, estão registradas também no capítulo versículo 4: 23 de Jeremias.

“Observei a terra, e eis que era sem forma e vazia… (Jeremias 4:23)”.

A maioria dos eruditos cristãos acredita que Gênesis 1:2 significa que a Terra foi criada em um estado imperfeito. Os rabis discordam desta teoria.

Gênesis 1:1 situa a realidade da criação de forma clara: No princípio criou Deus os céus e a terra. A frase seguinte, “e a terra era sem forma e vazia”, está errada na maioria das traduções para o inglês, português e demais línguas, não possui concordância alguma com o verso primeiro. A tradução correta é, “e a terra ficou (tornou-se) sem forma e vazia”. A palavra hebraica traduzida para “era sem forma” nas versões inglesas da Bíblia é “to-hu” um verbo que significa “lançar resíduos”. A primeira terra foi destruída por gigantescos impactos de meteoros, os restos do planeta dos anjos. O termo “to-hu” existe também no verso de Jeremias.

Este planeta angelical que hoje é chamado pelos astrofísicos de Astera é chamado no Tanach (Bíblia) de Rahav (Raabe), e sobre ele lemos no Tehilim 89:11: Tu quebrastes Raabe em pedaços, como um morto: Tu espalhaste os teus inimigos com seu braço forte”. Quando D’us fragmentou Astera (Raabe) deu origem ao cinturão de asteroides.

O código acima foi encontrado no Livro do Profeta Ezequiel onde Astera (hrtsa) surge codificado no centro na posição vertical. Ao lado direito dele surge Marte e ao lado esquerdo surgem Júpiter e Saturno, indicando a clara ordem em que foram criados, sendo Marte (מאדים) o 4º planeta, Astera (אסטרה) o 5º, Júpiter (צדק) o 6º e Saturno (שבתאי) o 7º planeta do sistema solar. Como poderiam estar todos os nomes dos planetas do sistema solar codificados no livro de Ezequiel juntamente com Astera se ele não tivesse mesmo existido?

Encerro este assunto com uma pergunta: Teria sido um pedaço de Astera o que caiu em nosso planeta formando a terra de Israel? Um planeta angelical, elevado, se encaixaria bem no papel de formador da terra de Israel. Não?

“Fez a beleza de Israel cair dos céus à terra, sequer poupando o apoio de Seus pés no dia da sua ira”. Lamentações 2:1

No verso original diz “tiféret Israel”. Ora, sabemos que tiféret é a sexta esfera da Árvore das Vidas, o lugar que hoje é ocupado pelo sol, era antes ocupado pelo planeta angelical.

Talvez a resposta esteja no surpreendente código criptográfico acima, onde encontrei no Livro de Ezequiel novamente Astera e conectado a ele está “Eretz Israel (Terra de Israel). Acima destes dois códigos está soletrado no mesmo verso de Ezequiel 28 “5º Planeta no Monte Sagrado dos Anjos”.

(Extraído do livro “ADAMAH – AS ORIGENS SECRETAS DA HUMANIDADE”, Misha El Yehudá)

 http://ponteoculta.blogspot.com.br/2012/06/o-planeta-dos-anjos.html
Anúncios

1 Comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: