HÉLIO'S BLOG

Início » COMUNICAÇÃO » Vírus mortal “sumiu” de laboratório nos EUA

Vírus mortal “sumiu” de laboratório nos EUA

https://helioaraujosilva.wordpress.com/

Categorias

HÉLIO’S BLOG

Divulgação Científica

Facebook , Twitter@Heliosblog,  Linked,  Sonico

Uma amostra de um VÍRUS LETAL da Febre HEMORRÁGICA desapareceu (???) do Galveston National  Laboratory, um laboratório de desenvolvimento de ARMAS BIOLÓGICAS situado no Texas, EUA

O laboratório de biodefesa de alta  (presumia-se)  segurança   em Galveston, no Texas perdeu o controle de uma amostra de vírus da letal febre hemorrágica em um incidente para ressaltar os recentes alertas de governo sobre como os Estados Unidos supervisiona os agentes de doenças mortais que detém para estudo e como isto é visto no exterior.

 

Fonte: www.nti.org/gsn/article/potential-bioweapon-vanishes-texas-lab/

Por Diane Barnes – Global Security Newswire

WASHINGTON – Especialistas e pesquisadores de outras instituições têm geralmente traçado a amostra de vírus Guanarito até o seu sumiço, desaparecimento de uma forma clerical no Laboratório Nacional de Galveston.

Auditores externos não conseguiram localizar o material dentro de um freezer na instalação de Biossegurança seção  Nível 4, local que é designado para lidar com vírus patógenos potencialmente fatais, transmissíveis pelo ar e que não têm nenhuma cura conhecida.

Um cientista trabalha em um laboratório de Nível de Biossegurança 4, no Instituto de Doenças Infecciosas de Fort Detrick EUA Army Medical Research, Md. Inspetores na semana passada encontrou uma amostra de um vírus letal tinha desaparecido de uma área de segurança máxima do Laboratório Nacional de Galveston em Texas (AP Photo / Patrick Semansky).

Um cientista trabalha em um laboratório de Nível de Biossegurança 4, no Instituto de Doenças Infecciosas de Fort Detrick EUA Army Medical Research, Md. Inspetores na semana passada encontrou uma amostra de um vírus letal tinha desaparecido de uma área de segurança máxima do Laboratório Nacional de Galveston em Texas (AP Photo / Patrick Semansky).

O chefe da University of Texas Medical Branch, que supervisiona o laboratório,  disse que o vírus “provavelmente” havia sido destruído, mas as autoridades ainda estavam se esforçando para identificar a causa do extravio.

O vírus Guanarito e outros vírus relacionados normalmente são transmitidos aos seres humanos através do contato com roedores infectados ou com suas excreções, mas “a infecção também pode ocorrer por inalação de pequenas partículas sujas com urina ou saliva de roedores”, de acordo com o CDC- Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.

O vírus de origem venezuelana  ”não se acredita que possa ser capaz de sobreviver naturalmente em roedores nos Estados Unidos”, ou entre as pessoas, observou o presidente da UTMB David Callender  em comentários divulgados.

Responsáveis do laboratório não puderam ser localizados pela imprensa para oferecerem comentários, mas o diretor científico do local contou ao jornal EUA Today que a amostra – uma das cinco contidas no mesmo congelador – poderia ter grudado em uma peça de roupa protetora e, em seguida, caído no chão, onde teria sido removida com outros materiais para destruição. Todas as cinco amostras estavam no local quando os inspetores fizeram sua última verificação na sua presença em novembro, disse ele.

“Não há realmente nenhuma possibilidade de algo sair do laboratório de uma forma viável, a menos que seja retirado intencionalmente, acrescentou o chefe de ciências, Scott Weaver, em comentários ao jornal. Chuveiros de descontaminação são necessários antes de sair do local o que iria complicar qualquer esforço para se roubar uma amostra de vírus da “segura” instalação, disse ele.

O Comitê de Energia e Comércio começou a examinar possíveis ameaças à segurança em laboratórios de biodefesa do país. O Departamento de Agricultura no ano passado, observou falhas por seus inspetores para identificar transferências não autorizadas de amostras de antraz e da peste, e investigadores do Congressodivulgaram resultados que a administração Obama ainda tinha que acompanhar, através de sua recomendação de 2009 para estabelecer um código uniforme para o planejamento, construção e supervisão das instalações de defesa biológicas sensíveis.

Mesmo que o incidente no laboratório em Galveston geralmente tenha sido atribuído a uma causa benigna, o microbiologista John Palisano advertiu que “não há razão para ser arrogante e se dizer que não há nada com que se preocupar.

Em algum momento, alguém vai ver um relaxamento na segurança e, em seguida, tirar proveito dela, disse Palisano, um especialista em doenças infecciosas da Universidade do Sul, em uma entrevista por telefone. Ele clamou para que haja inspeção federal mais freqüentes destinadas a garantir o cumprimento das regras de segurança existentes.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

 

Dedo  acusador

ÍNDIO E BRASIL

Petições:

Vamos compartilhar?

Indígenas, não somos Intocáveis?

dbd43-comentario Envie para seus amigos!

Secretaria Nacional dos Povos Indígenas juntos podemos fazer algo.

Clique :

Anúncios

1 Comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: